Médicos sem Fronteiras , seja um Doador Mensal

email_logo_msf

botao_1

dubai 2012 197_001Opinião Eng,Urb.Vagner Landi

Como é bom doar mensalmente para essa Organização Mundial – Médicos Sem Fronteiras , pois esses doadores somos nós que fazemos doações mensais recorrentes para MSF , que são fundamentais independentes de ambições políticas e econômicas , pois essas doações ajudam o planejamento rápido nas situações de emergências como acontecido recentemente como no terremoto do Nepal ou no conflito na Síria , para o tratamento de pacientes com doenças que exigem cuidados ao longo prazo.

Essas palavras acima significa os Doadores Sem Fronteira e tenho a imensa satisfação e prazer com muita emoção quando minha contribuição é depositada mensalmente e coloco nosso Blog a disposição para atrair mais doadores mensais ao MSF.

seja-doador-do-medicos-sem-fronteiras1-600x250

medicos-sem-fronteiras

18_02_27_siria_card_fr_ghouta_oriental

Mensagem do Médicos Sem Fronteiras para quem é doador mensal , se você for um dia começará receber essas mensagens também !

Olá, Vagner.

Muito obrigada pelo seu apoio ao trabalho de Médicos Sem Fronteiras (MSF).

Escrevo este mail para informar sobre a terrível situação vivida pela população em Ghouta Oriental, na Síria.

Desde o dia 18 de fevereiro até o dia 25 , após dias de bombardeios intensos,hospitais e clínicas apoiados por MSF receberam mais de 3,700 feridos e mais de 700 mortos. A maior parte deles são mulheres e crianças.Neste período , 13 instalações médicas apoiadas por MSF também foram atingidas por bombas ou projéteis.

“Como uma enfermeira que trabalhou em conflítos extremamente sombrios, estou devastada por ouvir médicos e enfermeiras em Ghouta Oriental dizendo que têm 100 pacientes feridos e nenhum hospital, porque ele acabou de ser reduzido a escombros pelos bombardeios ” diz Meinie  Nicolai , diretora-geral de MSF.

A situação é devastadora.Um grande número de instalações médicas foram atingidas e danificadas ou destruídas , estradas para transferência de pacientes estão intransitáveis por causa de escombros de bombas ou por medo de bombardeios, suprimentos médicos são limitados ou totalmente inexistentes , novos pacientes não param de chegar e médicos trabalham sem pausa , até a exaustão.

Por tudo isso , MSF insiste que o Direito Internacional Humanitário (DIH) seja respeitado e pede que os apoiadores do governo da Síria e dos grupos de oposição armados em Ghouta Oriental usem sua influência para aliviar esta situação extrema para:

  • Pausar o bombardeio para permitir uma reorganização da resposta médica;
  • Permitir a evacuação médica dos pacientes mais críticos;
  • Permitir que organizações médico-humanitária independentes entrem na área para prestar assistência direta;
  • Fornecer um reabastecimento maciço de medicamentos e suprimentos médicos vitais;
  • Assegurar antes, durante e após qualquer pausa na luta que as áreas civis de ambos os lados, incluindo instalações médicas , não sejam atingidas.

Graças a ajuda de pessoas como você , MSF mantém diretamente cinco instalações de saúde e três equipes de clínicas móveis no norte da Síria e tem parcerias com cinco instalações.

 MSF também oferece apoio à distância para cerca de 50 instalações de saúde na Síria, onde as equipes não podem estar diretamente presentes, inclusive em Ghouta Oriental.

Destroyed Ambulances in East Ghouta, Syria

Foto de arquivo: estas duas ambulâncias no leste de Ghouta foram destruídas em um ataque aéreo em dezembro de 2016. Um hospital e uma ambulância apoiados por MSF também foram danificados em outro bombardeio no leste de Ghouta em novembro de 2017.

Para saber mais sobre essa situação acesse nosso site.

email_susana_de_deusAgradecemos imensamente seu apoio. email_assinatura_susana_de_deus

Susana de Deus – Diretora Geral – Médicos Sem Fronteiras Brasil

Veja abaixo a situação em Ghouta Oriental, na Síria.

https://www.msf.org.br/noticias/medicos-e-enfermeiros-estao-colapsando-dado-que-resposta-medica-em-ghouta-oriental-atinge?utm_source=email&utm_medium=emkt&utm_campaign=relacionamento-noticia&utm_content=ghouta-oriental&utm_term=2018-02-27

Faça sua parte , contribua , pois isso faz um bem tão grande em pensar que uma pequena parte que doamos por mês emociona a alma e pode salvar vidas do outro lado do Planeta

Não tem como não se emocionar com essas fotos reais,

Últimos acontecimentos tristes,

https://www.msf.org.br/videos/ghouta-oriental-siria-dentro-de-uma-maternidade-destruida?utm_source=email&utm_medium=emkt&utm_campaign=newsletter&utm_content=2018-03-06-doador-DR&utm_term=video-maternidade-siria

Acesse o site , doe !!!

https://www.msf.org.br/

Atualização em 21/05/2018

Ebola na Republica do Congo

Ebola MSF

O surto da febre hemorrágica pelo vírus do Ebola continua na província de Equateur (República Democrática do Congo), principalmente, na cidade de Bikoro, com 29 casos suspeitos e 10 confirmados. A preocupação é ainda maior com a chegada do Ebola à Mbandaka, primeiro centro urbano afetado. Enviamos a estes locais 50 toneladas de suprimentos e uma equipe com alguns dos nossos profissionais mais experientes no combate ao Ebola, incluindo médicos, especialistas em controle de infecção e logísticos.

É graças à ajuda de nossos doadores que já estamos atuando em resposta à nova epidemia de Ebola.

O estado de alerta é alto, pois a doença está afetando também uma área urbana e é um ponto muito movimentado no rio Congo, por onde flui um grande deslocamento de pessoas na região.

Estamos trabalhando junto ao Ministério da Saúde e outras organizações locais para implementar uma resposta coordenada, direcionada e rápida para impedir a disseminação do vírus. Para fazer frente à epidemia e limitar, ao máximo, o risco da sua propagação, intensificamos nossa resposta nas zonas afetadas.

Até o momento, o surto causou 26 mortes e outras 46 pessoas apresentam sintomas de febre hemorrágica. Os casos confirmados chegam ao total de 21.

Nossas equipes de emergência já se encontram nos locais, com as seguintes atividades:

  • Uma zona de isolamento nos principais hospitais (15 leitos);
  • Dois centros de tratamento de pacientes com Ebola (40 leitos);
  • 50 toneladas de suprimentos (kits médicos, de proteção e de desinfecção, contendo itens de isolamento como equipamentos de proteção, luvas e botas; kits de logística e higiene contendo lonas plásticas, kits de spray de cloro e de tratamento de água; e medicamentos paliativos para tratar os sintomas);
  • Profissionais experientes no combate ao Ebola: médicos experts em controle de infecções e especialistas em logística.

Estamos concentrando esforços para prevenir e conter o possível avanço desta emergência.

Nossa resposta imediata a qualquer emergência só é possível graças à contribuição de pessoas como você. Caso queira fazer uma doação para Médicos Sem Fronteiras, clique aqui.

msf 2Ana de Lemos  msf 1
Nova Diretora-geral
Médicos Sem Fronteiras Brasil

Para obter informações mais atualizadas, acesse www.msf.org.br.

Deixe seu comentário que o mesmo será respondido e publicado ,

Obrigado !!!

 

Sobre engvagnerlandi

Engenheiro Civil , formado Pela Faculdade de Engenharia São Paulo na capital paulistana , Especialista em Uso e Ocupação do Solo , Plano Diretor e Aprovações de Projetos e Licenciamentos na Grande São Paulo. Tem o Urbanismo como convicção , sempre defendendo uma Melhor Qualidade de Vida para os bairros de SAMPA
Esse post foi publicado em MÉDICOS SEM FRONTEIRAS e marcado , , , . Guardar link permanente.

Obrigado pela sua participação!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s